O FCD – Festival Contemporâneo de São Paulo é um festival internacional dedicado à experimentação, ao intercâmbio artístico, e à difusão de trabalhos performativos movidos pela reflexão e a crítica.

 

Realizado anualmente, o FCD reúne em São Paulo artistas de diversos países interessados na constituição de contextos de convívio afetivo e artístico, aproximando o público local a diferentes proposições e práticas de criação, considerando a dança como uma produção compartilhada de conhecimento. 

 

As apresentações ocorrem em curtas temporadas em teatros localizados no centro velho de São Paulo, região de vulnerabilidade social. Com entrada gratuita ou a preços populares, o festival procura expandir o acesso às artes performativas, contribuindo para a democratização da arte contemporânea na cidade.

 

O FCD tem como diferencial uma programação conectada com circuitos internacionais de dança, reunindo artistas reconhecidos e novos criadores da cena contemporânea. Além das apresentações de trabalhos nacionais e internacionais, o FCD realiza uma rede de ações voltadas à formação, à investigação e à qualificação artística, como as oficinas de criação, onde os artistas partilham suas práticas e processos com os participantes; conversas com artistas, críticos e investigadores convidados; ações de formação envolvendo alunos de escolas públicas; e mostras de novos criadores em dança, que contam com grande engajamento de jovens artistas. 

 

Criado por artistas e produtores em 2008, o FCD, até 2018 nomeado como Festival Contemporâneo de Dança, é o primeiro festival independente de dança de São Paulo, tendo conquistado ao longo dos anos o reconhecimento do público e da crítica especializada. O FCD foi contemplado duas vezes com o prêmio da APCA - Associação Paulista dos Críticos de Arte, na edição de 2018 e também em sua primeira edição em 2008. O FCD faz parte do calendário anual da cidade de São Paulo e contou com o apoio de diversas instituições nacionais como o Sesc São Paulo, Itaú Cultural, Centro Cultural Banco do Brasil, Caixa Cultural, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo; e instituições internacionais, como o Goethe-Institut, Instituto Ramon Llull, Iberescena, Institut Français, DGARTES, Fonds Podiumkunsten - Holanda, Centro Cultural da Espanha, Nationales Performance Netz - Alemanha, La Caldera - Espanha, rede EDN, entre outros.

 

Ao longo das 12 edições o FCD tornou-se o festival internacional mais longevo da cidade, e é reconhecido internacionalmente como o festival brasileiro voltado à difusão de “trabalhos de ponta” voltados a experimentação e ao diálogo entre artistas de diferentes países, agregando públicos diversos de São Paulo. Ao promover o acesso aos processos de criação, às práticas, às proposições e às obras destes artistas, o FCD dinamiza as artes performativas na cidade, amplia públicos, contribui com a qualificação da cena local e insere São Paulo em circuitos internacionais.

 

Adriana Grechi e Amaury Cacciacarro